Terra, planeta água!

Por Leonardo Costa e Rafael Thomas

A água faz mais do que apenas hidratar. Suas propriedades e capacidade de memória podem nos curar e melhorar o nosso desenvolvimento.

Durante o ano de 1981 o cantor Guilherme Arantes lançou um dos seus maiores sucessos, cujo refrão era a frase: “Terra, planeta água”! Esta afirmação cabe bem ao nosso mundo, já que os oceanos formam 70% de toda a extensão do globo. O filósofo grego Tales de Mileto (625 A.C), dizia que a origem de todas as coisas na terra estava no elemento água e seu ciclo desenvolvia novas formas de vida.

A água de alguma forma está presente em quase tudo. O próprio corpo humano, por exemplo, é constituído por 70% deste líquido. Além de ser utilizada em diversas ações químicas e metabólicas do indivíduo, ela ajuda a manter a temperatura corpórea, previne doenças, equilibra e limpa o organismo. Por esta razão, profissionais da saúde enfatizam tanto para que o consumo de água seja feito mesmo sem sede.

A função da água vai além de matar a sede
Algumas pessoas pensam que o consumo de água é somente para matar a sede. Há casos ainda da substituição do líquido por sucos e refrigerantes, causando déficits ao organismo. Embora somente 3% da água do planeta seja doce, o Brasil possui grande reserva para o consumo e algumas com propriedades curativas. É o caso das famosas fontes dos Parques das Águas das cidades de São Lourenço e Caxambú, em Minas Gerais.

Ao visitar Caxambú, o visitante terá a sua disposição mais de dez fontes com diferentes águas minerais. Boa parte delas homenageia a família real do Brasil. Isto porque, a princesa Isabel e seu marido o conde d’Eu, buscaram as águas curativas e ricas em ferro da cidade, em 1868, para que a princesa pudesse curar-se de uma anemia e conseguir engravidar. Fato que depois de consumir as águas, a nobre ficou curada e engravidou.

As águas minerais vão além das garrafinhas com ou sem gás que compramos na rua. Ao visitar um reduto de fontes, notamos que as águas recebem nutrientes que atuam em diferentes partes do organismo com suas funções curativas. No local também é possível experimentar águas alcalinas bicabornatadas, terrosas cálcicas, magnesianas, ferruginosas, fluoretadas, carbogasosas, radioativas e com enxofre.

Ao passear por Caxambú, não deixe de visitar a Fonte da Beleza. Com água multimineralizada, age sobre os órgãos e a vida celular, ajuda na formação dentária e óssea por conter flúor e cálcio. Devido à quantidade de magnésio, também combate o estresse e auxilia no aparelho digestivo. Já a Fonte Dona Isabel/Conde D’Eu possui base ferruginosa, com indicação para casos de anemia e debilidades do organismo. Segundo a administração do parque esta água é um verdadeiro alimento vivo.

No parque é possível tratar outros problemas crônicos. Para os hipertensos a indicação é a Fonte Venâncio. Sua água rica em magnésio e radônio melhora o tônus do miocárdio, músculo do coração. A radioatividade ajuda nos espasmos vasculares dos hipertensos e diminui a pressão arterial. A Fonte Viotti é famosa por sua água atuar sobre os rins. Com ação diurética, proporciona a eliminação de ácido úrico e dissolve cálculos renais e biliares.

Se o desejo é conhecer as fontes de São Lourenço, outras opções de águas minerais curativas estão divididas em oito fontes à disposição dos visitantes. A Fonte Sulfurosa II, por exemplo, contribui no tratamento do diabetes e processos alérgicos da pele. Já a Fonte Oriente conhecida por sua água mineral gasosa natural, tem sabor agradável e pode acompanhar bons pratos. A água também é indicada para alguns casos de intoxicação e desde 1890 é engarrafada.

Água que comemos de garfo e faca
No período escolar aprendemos que a água tem três estados físicos: sólido, líquido e gasoso. Estas são as formas mais simples de visualização do líquido. Porém, alimentos como frutas, legumes e verduras têm grande quantidade de água que não enxergamos a olho nu. Segundo a TACO, Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, algumas hortaliças como a alface, chega a ter em sua composição 96% de água.

O fato dos alimentos conterem grande quantidade de água em sua composição não isenta a ingestão do líquido. Eles apenas complementam nossa hidratação, mas a água precisa ser a principal escolha.

Não é só a alface que ostenta o título de alimento hidratado. Tipos como a laranja pera têm 89,6% de água, o morango 91,5%, o tomate 95,1% e o pepino 96,8% de água em sua composição. Segundo o nutricionista da ASSIST, André Monteiro, o fato dos alimentos conterem grande quantidade de água em sua composição não isenta a ingestão do líquido. Eles apenas complementam nossa hidratação, mas a água precisa ser a principal escolha.

Questionado sobre a quantidade de ingestão de água diária, André nos conta ser comum alguns seguirem recomendações antigas como: o consumo de pelo menos 2 litros de água ou oito copos por dia. Isto pode ser perigoso, porque pode causar desidratação. “Hoje em dia, a ingestão correta de água é feita através de um pequeno cálculo onde multiplicamos 35 ml pelo peso corporal do indivíduo. Assim descobrimos a quantidade ideal para que cada pessoa se mantenha hidratada,” relata o nutricionista.

Água e sua riqueza
A água é considerada a fonte mais rica em minerais e pode ser purificada de forma simples e eficaz, utilizando filtros, magnetos ou até mesmo argila. Quando diretamente da fonte, melhor. Quem já tomou um banho de cachoeira conseguiu perceber quão energética ela pode ser. É uma água pura, filtrada naturalmente pelo planeta, carregada em minerais e energia.

Para termos água de qualidade precisamos estar atentos a alguns aspectos como o pH (potencial de Hidrogênio). Usado para medir a acidez, deve ser o primeiro ponto observado antes de comprar água mineral. O sódio influencia no pH, tornando o líquido mais ácido, além de contribuir para a retenção de líquido, ocasionando hipertensão e sobrecarga dos rins. Especialistas indicam o ideal de 1% de sódio, para o consumo de água e o pH entre 6 e 7,5.

As pontes de hidrogênio são fundamentais para que o corpo aproveite bem o líquido. Segundo a terapeuta ortomolecular, bioquímica e professora, Heloisa Bernardes, quanto mais hidrogênio na água, melhor ela absorverá o oxigênio. Diferente da gordura, que quando incorpora oxigênio se transforma em radicais livres. Heloisa afirma ainda que a água é capaz de armazenar memórias energéticas e minerais, necessários para o desenvolvimento do nosso organismo. “Água é vida e a base de tudo”, relata Heloisa, autora dos livros “O Que a Dieta Ortomolecular Pode Fazer Por Você” e “É Chique Ser Saudável”, entre outros.

O pesquisador japonês Dr. Masaru Emoto, no livro “As Mensagens da água”, comprovou a capacidade da água em armazenar as vibrações energéticas de músicas, vozes, emoções e até mesmo pensamentos. Ele demonstra em sua pesquisa que a água tem o poder de criação e transformação de nós mesmos e do planeta. Em algumas experiências, Dr. Emoto expôs a água ao som de diferentes palavras de amor ou ódio.

Ao analisar a fotografia dos cristais congelados da água, constatou-se que a vibração das palavras influenciou a formação dos cristais. As palavras de amor apresentaram desenhos harmônicos, claros e belos. Já as palavras de ódio, tiveram desenhos obscuros e deformados. A experiência feita também em uma represa japonesa constatou que após uma hora de oração o lago teve a sua aparência transformada. Tornando-se visivelmente mais bonito em comparação as fotos anteriores ao experimento.

Água, um santo remédio
A água pode ser um remédio para todos, com simples ações. Como a pedra de enxofre que é utilizada dentro de caixas d’ água para diminuir a acidez da água. Os filtros também são peças importantes. Com duas filtragens, podemos ter água mais pura para o consumo. O primeiro filtro pode ser de carvão, para segurar sedimentos maiores e o segundo com uma filtragem mais fina. Quando a água estiver saindo com pouca pressão, está na hora de trocá-los.

Uma forma de limpeza imediata pode ser feita com argila. Basta borrifar uma colher de sopa na jarra e deixá-la decantar. Quando a argila estiver toda no fundo, passe a água para outro recipiente e descarte a argila com as impurezas. Prefira a argila seca ao sol, sem alteração em sua composição e com maior quantidade de silício, em relação aos outros componentes. “Toda argila é boa quando tem, no mínimo, 40% de silício a mais do que os outros minerais”, afirma a terapeuta Heloisa Bernardes.

Pode-se complementar a limpeza e potencializar a sua capacidade de hidratação com magnetos. Ímãs, dentro das jarras, filtros ou garrafas, capazes de reter em seu campo magnético as macro partículas de impurezas. Com cem vezes mais potência de hidratação, ela ainda é capaz de limpar os rins. Os magnetizadores de água são catalizadores de equilíbrio dos minerais e podem ser adquiridos em sites de venda na internet ou lojas de utensílios.

A água magnetizada também é indicada para diversos tipos de doenças. A base do tratamento é a forma de preparo da água a partir do posicionamento dos magnetos no compartimento de água e a quantidade diária de ingestão. Já existem alguns fabricantes que produzem uma jarra magnetizada que ajuda no preparo da bebida terapêutica, potencializando a sua atuação com infravermelho.

Já a água destilada tem uma composição inócua, ausente de minerais ou qualquer partícula de impureza. Boa para a construção muscular é muito utilizada em dietas e processos de limpeza interna. A especialista Heloisa Bernardes ressalta a importância em alternar o seu consumo com água mineral ou reforçar o acesso a minerais, complementado na alimentação balanceada. Para quem quer alcançar o equilíbrio físico e mental, a terapeuta ortomolecular Heloisa Bernardes disponibiliza em seu site (www.heloisabernardes.com.br) cursos on-line de naturoterapia, estética e biologia ortomolecular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *