Sabor e beleza à mesa

Por Leonardo Costa

O símbolo da primavera oferece beleza, saúde, nutrição e muitos significados.

Depois de uma estação fria com alguns dias cinzas, a primavera retorna trazendo a exuberância das flores com as suas cores e aromas agradáveis para os nossos dias. É notória a mudança na paisagem. Como já diz o grupo Titãs, interpretando a canção “Flores”, “há flores por todos os lados, há flores em tudo que eu vejo […]”. É verdade que as flores de plástico não morrem e também não fazem mais nada além de ornamentar. Além da sua função básica, responsáveis pela reprodução botânica e ornamentação de nossas casas e jardins, as flores contêm propriedades terapêuticas, estão recentemente inseridas na culinária brasileira e começam a contribuir cada vez mais para a nossa qualidade de vida.

Se você nunca retirou uma flor de hibisco do pé e chupou, para sentir o seu néctar, nunca vai entender o sentido da paixão de um beija-flor. Experimente. O néctar é doce e tem papel importante de atrair insetos e pássaros polinizadores. Com a polinização, as flores garantem a reprodução da sua espécie com as sementes, que também podem ser encontradas nos frutos. Diferentemente dos óleos essenciais, com aromas distintos e utilizados em terapias. A flora brasileira é uma das maiores riquezas da humanidade, a sua diversidade botânica ainda está sendo catalogada por especialistas.

A estrutura geográfica brasileira nos favorece quanto às possibilidades botânicas disponíveis em nossa biodiversidade. Desde 2008, o Brasil é pioneiro em descobertas de novas espécies de plantas no planeta, segundo o Royal Botanic Gardens Kew. Entre 2006 e 2015, foram 2.220 novas espécies catalogadas de origem brasileira, seguindo por Austrália (1.648) e China (1.537). Em seu último relatório, publicado em 2016, estima-se que existam aproximadamente 390.900 espécies de plantas no planeta. Destas, 94% das espécies têm flor.

Flores à mesa
Aqui no Brasil, tradicionalmente, a couve-flor, o brócolis e a alcachofra são as flores que encontramos com frequência e naturalidade em nossa culinária. Diferentemente das culinárias francesa, suíça e asiática que incorporaram uma variedade maior aos seus cardápios. Alguns especialistas afirmam que as flores comestíveis não apresentam nenhuma contra indicação e podem ser utilizadas em saladas, sopas, refogados e assados, em sobremesas como bolos, cremes e pudins. Além de bebidas alcoólicas, sucos, vitaminas e chás.

Mas é claro que dentro do vasto universo floral, ainda há muito a ser explorado, seja no desenvolvimento do paladar na culinária ou na exploração das suas propriedades terapêuticas, com os florais, essências, óleos e chás. Algumas espécies já estão sendo utilizadas na culinária como a cravina, a flor de manjericão, pétalas de capuchinha, flor de cebolinha, amor perfeito e mini-rosas.

Em Cerquilho, município de São Paulo, existe um polo de cultivo especializado em flores comestíveis. É importante ressaltar que em alguns casos apenas as pétalas devem ser consumidas, como é o caso da calêndula, com sabor um pouco amargo. Já a capuchinha pode ser comida inteira, mas tem um sabor mais picante, lembrando o agrião. Geralmente, ela é recheada com ricota. A flor de mel tem um paladar mais neutro e a proveniente da erva de jambu que traz propriedade anestésica, deixando a boca dormente.

“Devido aos agrotóxicos, as flores vendidas em floricultura não podem ser utilizadas na culinária. Precisamos escolher as que foram cultivadas dentro de uma lógica orgânica, sem agrotóxicos.”

Mas atenção, alguns especialista e cultivadores alertam que nem todas as flores são comestíveis. As que tiverem algum tipo de leite, por exemplo, podem ser venenosas. Outro ponto importante a ser considerado é a sua origem e cultivo. Devido aos agrotóxicos, as flores vendidas em floricultura não podem ser utilizadas na culinária. Precisamos escolher as que foram cultivadas dentro de uma lógica orgânica, sem agrotóxicos. A rosa, por exemplo, em algumas estratégias de cultivo pode receber nitrato de prata.

Mesmo sendo orgânicas as flores precisam ser lavadas e bem higienizadas para a retirada da poeira e insetos. Mas anota a dica, não utilize vinagre, pois ele pode murchar as pétalas. Outra dica, para colorir as taças de água: congelar violetas douradas ou rosas para fazer cubinhos de gelo ornamentado. Já imaginou a beleza de uma jarra de água com os cubos ornamentados com flores?

Cada uma tem o seu significado
Com sua exuberância e variedades de aromas, as flores são responsáveis pela reconciliação de muitos casais e estão presentes em momentos e datas memoráveis, nos ajudando a expressar os mais diversos sentimentos. Mas, você sabia que cada uma tem o seu significado e de acordo com a cor deve ser oferecida em ocasiões diferentes? Por exemplo, um casal de noivos que queiram expressar o seu amor à primeira vista, podem utilizar a Gloxínia em suas ornamentações. Já o Jasmin Branco expressa a alegria e amabilidade do casal.

As Rosas realmente expressam os sentimentos dos apaixonados, representam paixão, romantismo, amor e dedicação. Porém, a vermelha é admiração, caridade, casamento, desejo e amor intenso. Rosas de cor champanhe transmitem respeito e admiração. Mas se você quiser expressar o seu amor eterno, basta entregar um bouquet de rosas cor de rosa, rajadas de branco. E então, qual seria a composição do buquet de Rosas que melhor irá expressar os seus sentimentos?

A Milefólio pode ser oferecida para uma pessoa doente, estimando a cura. O Lírio branco para manifestar a pureza e virgindade. Oferecer Papoula amarela pra expressar o desejo de sucesso ou saúde a alguém. E que tal Violeta para lealdade, modéstia, simplicidade e simpatia? Mas essas especificidades não estão limitadas apenas as expressões de sentimentos ou intensões, elas também estão relacionadas as suas propriedades terapêuticas, como nos Florais.

Florais de Bach
Além do significado, as flores também têm as suas propriedades medicinais. Indicados para o tratamento de quadros emocionais, os florais de Bach ajudam no equilíbrio do corpo e da mente. Os florais foram descobertos pelo Dr. Edward Bach em suas pesquisas homeopáticas, por volta de 1930. Segundo o Bach Centre, existem 38 tipos no sistema floral de Bach, onde cada flor corresponde ao tratamento de um determinado sentimento ou emoção.

Os florais são considerados por alguns especialistas como terapia complementar. Com uma estrutura simples e orgânica, basicamente, é uma preparação líquida a partir da utilização da essência de flores silvestres. Importadas ou nacionais, as flores devem ser nativas, extraídas diretamente da natureza, ou seja, não cultivadas. As essências não possuem nenhuma parte física da flor, apenas a sua assinatura energética na solução.

O terapeuta floral irá manipular as fórmulas para compor uma solução que ajude o paciente na superação de determinados sentimentos e sensações como nervosismos, medo, teimosia, irritabilidade, agressividades e insegurança, dentre outros. O tratamento não se restringe apenas a adultos, podendo ser utilizado em crianças e animais, sem qualquer contra indicação. A exuberância dos jardins em prol da terapia.

Turismo Florido
Para quem curte passear entre as flores nos jardins, ter contato com a natureza e ainda apreciar uma boa culinária, uma ótima opção é a cidade das flores Holambra, em São Paulo. Fundada em 1948, a cidade traz uma boa oportunidade turística para os seus visitantes, com suas atrações culturais, naturais, gastronômicas e esportivas. Sua arquitetura e roteiro gastronômico cativam os visitantes.

Anualmente, a Cidade organiza a Expoflora, que teve a sua 36ª edição este ano. Considerada como a maior exposição de flores da América Latina, traz mostra de paisagismo, danças folclóricas holandesas, shows, chuvas de pétalas e desfiles de carros alegóricos em sua programação. A cidade também tem o maior moinho típico holandês da América Latina e segundo o site turístico da Prefeitura de Holambra, “mais de 50% das flores que decoram o Brasil passam pela cidade”.

Outra maravilhosa programação para curtir a primavera é o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, com monumentos, coleções, paisagens, museu e sítio arqueológico. Dentre as paisagens, estão a peculiar estufa das plantas insetívoras e o lago da vitória-régia. Em suas coleções, o Herbário, o Bromeliário, o Orquidário e as Aráceas não ficam atrás das esplendorosas Palmeiras. O Jardim Botânico esteve no roteiro do projeto “Carioquinha” até o dia 31 de outubro, proporcionando aos cariocas e moradores da cidade do Rio e Grande Rio desconto de 20% no bilhete de entrada.

Oficialmente, a primavera teve o seu início no dia 22 de setembro e irá até o dia 21 de dezembro. Viva a plenitude da estação com as suas cores e aromas. Cuide do seu jardim, pois não importa o tamanho e quantidade de flores, as borboletas sempre aparecerão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *