Férias Escolares

Por Leonardo Costa

Resgate a velha infância e aprenda alternativas criativas para garantir diversão e aprendizado.

Para uma família atarefada, as atividades do cotidiano facilmente escondem a percepção do tempo. Dia após dia, as mentes são ocupadas com tarefas rotineiras e quando menos se espera, pronto, já estamos em junho, julho. E, recebemos aquele recadinho no caderno avisando sobre o período das férias de inverno ou percebemos que temos um adolescente deitado no sofá, quando normalmente estaria na escola. Mas, o que podemos fazer para que eles aproveitem bem as férias e sem um grande impacto no orçamento?

Simples infância
Não é preciso entrar em pânico todas as vezes que as crianças nos perguntarem “o que vamos fazer hoje?”. Às vezes o simples é tudo que nós precisamos. Desperte a sua criança interna. Do que você gostava de brincar, quando era criança? Resgate a sua infância. Pense em alternativas novas e diferentes que façam um contra peso com os aplicativos dos smartphones, a internet e os videogames. A mãe da Laura (7) não se incomoda com a dinâmica do celular, pois não a deixa usar muito tempo. “Tento equilibrar com outras atividades que ela gosta”, declara.

A natureza sempre será uma grande aliada. As atividades externas proporcionam aquela experiência de 360 graus, que envolve todos os sentidos no desenvolvimento infantil. Ela também ajuda na saúde ao se expor ao sol. Essencial para a absorção da vitamina D em nosso organismo. Ela contribui para o fortalecimento do sistema imunológico e ajuda na força muscular, na função de estruturação e manutenção do tecido ósseo e equilíbrio dos níveis de cálcio.

A sua região está perto de qual parque ou reserva natural? Um piquenique é uma boa pedida para o nosso inverno, que muitas das vezes nos proporciona dias claros e agradáveis para este tipo de atividade. As trilhas do nosso estado são uma ótima oportunidade para incentivar o lado explorador. Transforme os passeios e trilhas em aventuras florestais e geográficas, criando desafios para quem encontra mais tipos de animais ou vegetais. Os passeios guiados, além da aventura, também podem conscientizar sobre o quão importante é a conservação da natureza, sua fauna e flora.

Organização e desapego
As férias também podem ser uma boa oportunidade para organizar o quarto. Selecionar os brinquedos que ainda funcionam, identificar os que já não fazem mais parte da sua faixa-etária ou que perderam o interesse e doá-los para abrigos, orfanatos ou bancos de brinquedos, que poderão fazer outras crianças felizes. A criança precisa ser envolvida neste processo para entender os valores do desapego, gratidão pela doação e consciência de se desfazer dos itens que não tenham valores sentimentais.

Meia-entrada sempre
Ora, se estão de férias escolares, logo, são estudantes. Então, não se esqueça da Lei nº 2.519 (17/01/1996), que assegura o pagamento de meia-entrada para estudantes matriculados regularmente, nas redes pública ou particular. A meia-entrada é garantida para o ingresso em locais de diversão, de espetáculos teatrais, musicais e circenses, em cinemas e também inclui áreas de esporte, cultura e lazer no Estado do Rio de Janeiro. Mas, não se esqueça de levar o documento de identidade expedido pelos órgãos públicos, ele pode ser exigido no momento do acesso.

Familiares e amigos
Acionar os familiares e os amigos sempre dá certo. Além de fortalecer os laços afetivos, matando um pouco da saudade, também contribui para ampliar a diversidade das atividades durante o período de férias. Passar um fim de semana ou alguns dias com tios, primos, avós e madrinhas podem trazer grandes surpresas e muita diversão.

A mãe das gêmeas, Geovana e Juliana(9), aciona as respectivas madrinhas para dividirem as férias. “O bom é que são pessoas diferentes, com programações diferentes. Enquanto uma leva as meninas para o cinema a outra ensina a fazer biscoitos, bolos e bombons”, relata. O contato com outra realidade e dinâmicas familiares contribui no processo de construção da autonomia, responsabilização e enfrentamento de desafios.

A psicóloga do Programa Vida Saudável, Pâmela Medeiros, lembra que “o processo de construção de autonomia pode ser prejudicado pela superproteção dos familiares mais próximos”. E o contato social com outros familiares auxilia no desenvolvimento global (intelectuais, emocionais e sociais), no processo de construção da identidade e memórias significativas, além de estimular o diálogo ao retornar pra casa, contando a história de como foi a visita.

“Não é preciso entrar em pânico todas as vezes que as crianças nos perguntarem “o que vamos fazer hoje?”. Às vezes o simples é tudo que nós precisamos.”

Lanches
Além do lanche da tarde, durante as férias todos tendem a comer mais. Se nós vamos assistir a um filme ou fazer uma maratona de desenho ou série, pede pipoca e outras guloseimas para beliscar. Se nós voltamos de alguma atividade, fome, logo, lanche. Lanche, lanche, lanche. E isso pode atrapalhar as principais refeições, mas existem algumas alternativas saudáveis.

Dê preferência às frutas da estação, cereais e sucos naturais. É preciso manter a atenção na hidratação, independentemente das estações. “Devido às baixas temperaturas do inverno as pessoas não sentem sede e acabam se esquecendo de ingerir líquidos”, reforça o nutricionista do Programa Vida Saudável, André Monteiro.

E quem disse que a hora do lanche também não pode ser um momento de diversão? Envolva as crianças no preparo dos lanches, seja fazendo a massa de um biscoito saudável, sem conservantes ou até mesmo montando um sanduíche bem colorido. Outra forma divertida são as obras de artes feitas com frutas. Transforme o prato em uma tela e use pedaços de frutas para montar imagens divertidas. Na internet é fácil encontrar imagens e tutoriais de como preparar os pratos.

Diversão e conscientização
Mesmo durante um momento de lazer é possível fazer com que as crianças aprendam, mas é preciso ter uma sutileza para desenvolver essa proposta. Locais históricos como o Forte do Copacabana, Quinta da Boa Vista, o Museu Naval e o Porto Maravilha são ótimas oportunidades para diversão com um pouco de aprendizagem. O resgate histórico pode ser feito durante a conversa ao chamar a atenção para algum item de exposição, construção ou escultura.

Em contraponto ao contexto da nossa cidade, as áreas rurais também podem nos oferecer muito conteúdo histórico. Algumas pousadas e hotéis fazenda no interior do Rio de Janeiro conduzem a uma viagem no tempo, com arquitetura original e incluindo na sua programação visitas guiadas na região. Mas, se o objetivo for recarregar as energias em contato com a natureza, sem perder o conforto, lembre-se que a ASSIST disponibiliza em suas parcerias de turismo diversas pousadas nas mais diversas regiões do nosso Estado.

Tecnologia do bem
A proposta de uma atividade a céu aberto, geralmente, é de criar um espaço e possivelmente um desligamento das redes sociais digitais. Por mais forte que a infância e juventude estejam ligadas aos smartphones, ainda assim é possível criar um equilíbrio entre a tecnologia e as atividades off-line. A sugestão é de integração da atividade ao ambiente virtual.

Por exemplo, ao visitar uma reserva e propor a exploração de uma trilha, veja se o mapa do local está disponível no site oficial. Lance o desafio de fotografar e identificar os animais e as plantas interessantes que estiveram no local percorrido. O registro poderá resultar em postagens positivas e incentivadoras. Use o aparelho como uma bússola para ajudar no deslocamento. Faça um resgate da história do local. O Jardim Botânico do Rio de Janeiro disponibiliza em seu site o mapa com todas as informações dos monumentos, paisagens, coleções, edificações e fontes de água.

Cinema sem pipoca?
Os preços dos combos de pipoca são exorbitantes e as vezes podem causar susto, quando um tio desavisado leva o sobrinho de férias ao cinema. Sem contar com a pipoca, outra forma de economizar é que todas as guloseimas podem ser compradas antes da chegada ao cinema. Grandes lojas de departamentos sempre oferecem promoções do tipo pague 2 e leve 3, saindo muito mais em conta que adquirir o produto nas bombonieres dos cinemas. Mas quando o caso é a pipoca, infelizmente não tem pra onde correr. A não ser que haja uma barraca de pipoca do lado de fora do shopping.

Além da meia-entrada, existem alternativas como entrar no site da rede de cinemas que a família está habituada a frequentar, fazer o cadastro e estudar o grupo de vantagens que são oferecidas. Algumas redes oferecem o dia em que todos pagam meia e ainda tem tickets e sessões familiares, com preços e horários diferenciados. Convide os amiguinhos, uma ida em grupo ao cinema é sempre melhor. Prepare-se para a maratona, pois a indústria cinematográfica já tem vários lançamentos para as férias escolares.

As férias não precisam ser um pesadelo, nem para os pais e nem para as crianças. Procure viver em paz e cultive a felicidade. Procure trabalhar sempre o conceito da simplicidade com as crianças e os adolescentes. Na maioria das vezes, preocupados em ocupá-los com atividades que talvez não sejam tão prazerosas, acabamos oferecendo muitas coisas. Isto pode aumentar cada vez mais o seu grau de exigência. Viva bem, viva simples e boas férias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *