Coco

Por Leonardo Costa

O fruto tropical mais popular do verão brasileiro traz muitos benefícios a saúde e pode ser consumido durante todo o ano.

O coco, fruto tropical, é rico em fibras, vitaminas e sais minerais. O seu consumo tanto verde quanto maduro pode trazer benefícios a saúde. Estando verde, podemos consumir a polpa ainda bem molinha e a água, para refrescar os dias mais quentes. Quando maduro, pode-se extrair óleo e leite, para quem tem intolerância a lactose ou escolha vegetariana.

Cultivado em cerca de 90 países, a produção mundial é liderada pela Indonésia, Filipinas e Índia. Porém, com tantas formas de consumo diferentes, o seu cultivo vem crescendo no território brasileiro. A Região Nordeste continua como a maior produtora do Brasil, com 74% da produção nacional, segundo o Banco do Nordeste. O Nordeste é destaque nacional.

Em muitos países, os cultivos de coqueiros são destinados a comercialização da polpa seca, para a produção de óleo e coco desidratado. Aqui no Brasil, a produção é mais ampliada com coco seco in natura, ralado, leite, óleo e outros derivados, além da água.

Segundo a Embrapa, o coqueiro é uma cultura tropical de expressiva importância para a agricultura e o agronegócio no Brasil e no mundo. Uma parte significante da produção de coco é proveniente dos pequenos agricultores. Você sabia que, o coqueiro é reconhecido como a árvore da vida devido a diversidade de produtos e subprodutos que ele é capaz de fornecer?

O coco é fruto do coqueiro, palmeira da família botânica Arecaceae. Aquele coco verdinho, tradicional das praias cariocas, tem o seu nome científico Coccus nucifera L. Ele pode ser considerado como uma das frutas mais importantes da cultura brasileira, por ser um alimento rico.

A carne do coco
A polpa é considerada como uma ótima opção para quem pretender perder peso, por conter fibras e a sua gordura, composta por ácidos graxos curtos, não é armazenada pelas células. Ou seja, sacia e dá bastante energia, além de ajudar a manter o metabolismo ajustado e regular a função da tireóide.

Com uma indicação de 50 gramas na hora do lanche, a polpa vem repleta de vitamina A, C, E e do complexo B, incluindo sais minerais, magnésio, potássio, manganês, selênio, zinco, ferro, sódio, cálcio, fósforo e fitoesteróis, que ajudam na redução dos níveis de colesterol ruim (LDL).

Com a polpa do coco pode ser utilizada de diversas formas, principalmente em doces, sorvetes, iogurtes e drinks. A polpa do coco, conhecido como albúmem sólido, ocorre entre o 5º e o 6º mês de crescimento. A sua consistência permanece gelatinosa até um a dois meses depois, tornando-se rígida posteriormente. Então, dependendo do que se pretende fazer com o coco é preciso respeitar o seu tempo de cultivo no pé.

Além do amplo consumo da polpa na culinária brasileira, tanto em pratos doces quanto  salgados, o consumo da água tem aumentado cada vez mais. Reconhecida como uma fonte de hidratação e propriedades medicinais, o seu consumo ocorre durante todo o ano.

Água
A nutricionista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Livia Yumi Yokomizo, explica que a água de coco é um isotônico natural, que proporciona uma hidratação rica em sais minerais como sódio, magnésio e vitamina C, em entrevista ao site do Hospital. Ela também hidrata a pele, reduz o nível de colesterol, previne enjoos, auxilia no controle da pressão arterial e no funcionamento intestinal.

Para quem sofre com gastrite ou úlceras no estômago, a água de coco ameniza as dores estomacais, pois age como anti-inflamatório. Devido a quantidade de fibras, ela ainda auxilia no funcionamento intestinal. E, ainda é uma excelente fonte de energia pelo teor de calorias e potássio em sua composição. Aconselha-se beber de 1 a 3 copos de água por dia.

Caixinha ou in natura? Devido aos conservantes inseridos na água de coco envasada, que são à base de sódio, a nutricionista recomenda sempre que possível optar pela água de coco in natura. Segundo a nutricionista, a diferença significativa entre a água de coco envasada e in natura é o teor de sódio. Mais presente na envasada, devido aos conservantes à base de sódio. “Se possível, dê preferência a água de como in natura”, recomenda a nutricionista.

Informações Nutricionais
Água de Coco – 100ml = 22Kcal
Polpa de Coco – 100g = 354Kcal

Pra você que tem um coqueiro em casa, fica a dica: Normalmente, a água do coco começa a se formar em torno do 2º mês, após a abertura natural da inflorescência. O volume máximo do fruto é atingido entre o 5º e 7º mês, sendo este o período recomendado para a colheita. Nesta época, a água está com o maior teor de açúcares e mais saborosa.

Da casca
O aumento da produção industrial e do consumo de água de coco podem ser considerados como os principais geradores de problemas ambientais, devido a grande quantidade de resíduos gerados. Eles podem se tornar subprodutos com valor econômico, como é o caso da casca.

Da produção do fruto verde para a extração da água de coco, a casca gerada por este negócio chega a representar 70% de todo o lixo gerado nas praias brasileiras, segundo a Embrapa Agroindústria Tropical. Do processo deste material é possível obter dois subprodutos: Pó e Fibra.

Descentralizada em todo o território nacional, o pó da casca do coco verde apresenta uma estrutura física vantajosa, segundo a Embrapa. Ele é biodegradável, renovável, leve, de alta porosidade, com alto potencial de retenção de umidade. Além de favorecer a atividade fisiológica das raízes. É ótimo ingrediente para produção de substratos agrícolas e compostos orgânicos.

A fibra pode ser utilizada como matéria-prima para o artesanato, confecção de vasos e placas para plantio de diversas espécies, em substituição ao xaxim. Também é utilizado no estofamento de veículos e na fabricação de biomantas, para a contenção de encostas, de áreas degradadas e em decoração de interiores.

Óleo
O óleo do coco é extraído diretamente do fruto. Rico em ácidos graxos, cerca de 65%, o óleo também possui outros ácidos como ascórbico, cítrico e valinico, além de celulose, fitosterol, inositol, tocoferol, vanilina e vitamina E. O Extra Virgem orgânico é obtido por prensagem a frio da carne do coco desidratada.

Muito nutritivo, ele é usado na indústria alimentícia como ingrediente gorduroso em alguns produtos como margarina, chocolate e sopas instantâneas. Na indústria farmacêutica e cosmética é comumente utilizado como base e veículo de substâncias como pomadas e protetores solar. Já na indústria química ele é utilizado em produtos de limpeza e base para sabões.

Quando o óleo é armazenado abaixo de 25º C, ele pode ficar sólido. Aquecê-lo em banho-maria o transformará no estado líquido novamente. Apesar de ter se tornado um produto bem popular, para além do aspecto de saciedade, o óleo de coco traz algumas preocupações aos especialistas. Talvez a sua gordura saturada faça menos mal que a de cadeia longa, mas ele não emagrece.

Todos os alimentos gordurosos precisam de atenção, em especial ao óleo, quem tem uma digestão vagarosa ou um fígado que entra no processo de engorda (esteatose hepática). “Devido à sua composição, o alimento pode aumentar a dimensão do problema”, esclarece a nutricionista Andréia Naves, em entrevista ao site saúde.

A sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia se posicionou contra a utilização terapêutica do óleo de coco com a finalidade de emagrecimento, por considerar que tal conduta ainda não possui evidências científicas de eficácia.

Plante em casa
Para quem escolher ter um coqueiro ou já tem, separamos algumas informações bem úteis de plantio, dentre as variedades Anão, Híbrido e Gigante. Estas três variedades têm características bem distintas, quando avaliamos o tempo e quantidade de frutos produzidos, em um determinado tempo.

Que tal plantar um coqueiro e ter aquele fornecimento de água de coco pro resto da vida? O coqueiro é capaz de se adaptar ao clima de quase todas as regiões do Brasil. A Embrapa aconselha a plantar o seu coqueiro no início das chuvas, para não prejudicar o estado hídrico da planta. O Anão, embora mais baixo, possui grande área de folhas e menor regulação da transpiração, precisando de mais irrigação, que o híbrido e o gigante.

A irrigação deve ser feita nas horas com menor luminosidade, devido à menor perda de água pela evapotranspiração que ocorre neste período do dia. Se você plantar uma bananeira a 2 metros de distância, ela irá ajudar a aumentar o potencial hídrico da folha, por proporcionar menor perda de água do coqueiro. Fica a dica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *