Paraty

Por Leonardo Costa

Conheça a região da Costa Verde com as riquezas da história do Brasil Colonial e ecoturismo na Mata Atlântica, com praias, trilhas, cachoeiras e passeios guiados.

Com o seu estilo Brasil Colonial, Paraty oferece uma experiência maravilhosa para quem escolher visitá-la. Desde o contato com a natureza, proporciona um resgate histórico pela cultura, gastronomia e ecoturismo, com várias opções de lazer. Durante o ano, seu calendário cultural traz festas religiosas, Mini Maratona, Festival de Cachaça, Cultura e Sabores, Festa Literária Internacional, mostra de bordados e muitos mais.

História
As ruas do Centro Histórico de Paraty são caracterizadas pelas pedras que as compõem, conduzindo o visitante a um caminhar vagaroso a época de 1820. Os casarões e igrejas preservam a arquitetura colonial. É a verdadeira viagem no tempo. A cidade foi fundada em 1667 em torno da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, considerada sua padroeira. Sua grande importância econômica da época foi atribuída aos mais de 250 engenhos de cana-de-açúcar. Hoje, considerada como sinônimo de boa aguardente. Além de, no Século XVIII, destacar-se pelo porto como principal ponto de partida para o envio de ouro e pedras preciosas das Minas Gerais. O seu isolamento econômico foi a partir da construção de um novo caminho da Estrada Real direto para o Rio de Janeiro.

Paraty se torna pólo de turismo nacional e internacional, pelas suas belezas histórica e ecológica, na década de 70. Após a abertura da Estrada Paraty-Cunha e a construção da Rodovia Rio-Santos.

Centro Histórico
Considerado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso, o Centro Histórico de Paraty é Patrimônio Nacional tombado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

O encanto colonial das ruas, com o calçamento “pé de moleque”, foram traçadas do nascente para o poente e do Norte para o Sul, facilitando a invasão das águas do mar durante as marés na lua cheia, transformando Paraty em uma pequena Veneza.

A influência católica é uma marca forte na região. O Centro Histórico possui 4 igrejas construídas especificamente para uma camada da população, na época: Senhoras Aristocratas, escravos, homens pardos libertos e etc. Hoje, acontecem as festas tradicionais da religião como Festa do Divino, Corpus Christi, Festa de Nossa Senhora dos Remédios e do Rosário.

Caminho do Ouro
Nos séculos XVII e XVIII, o Caminho do Ouro era ponto de passagem obrigatório. Cercado pela exuberante vegetação, o caminho de pedras construído pelos escravos está bem preservado e servia de escoadouro da produção de ouro das Minas Gerais para Portugal.

É considerada uma importante obra de engenharia que proporciona conhecer a cultura, o presente e o passado do povo paratiense, com ateliers, alambiques, comida caseira e cachoeiras no seu trajeto. A visitação só é permitida com guias autorizadas e precisa ser agendada, por atravessar propriedades particulares.

Cachaça e Alambiques
Relata-se que a bebida começou a ser alambicada a partir de 1600, em Paraty. Sendo considerada a região mais importante na produção de pinga, no Brasil Colonial. Paraty era sinônimo de aguardente de qualidade. As pessoas pediam uma dose de Paraty, quando queriam beber. Segundo historiadores, a bebida produzida na região era a mais cara comercializada no país.

Desde os meados de 1700, com 100 alambiques, hoje, a Cidade conta com apenas 7: Coqueiro, Corisco, Maria Izabel, Paratiana e Mulatinha, Pedra Branca, Maré Cheia e Engenho D’Ouro. Paraty é a primeira cachaça brasileira a receber a certificação “Indicação de Procedência”, entregue pelo INPI, em 2007.

Realizado desde 1983, sempre em agosto, o Festival da Cachaça, Cultura e Sabores de Paraty traz todo o sabor dos principais alambiques. A entrada é gratuita e a programação é intensa com atividades culturais e gastronômicas. O Festival contribuiu para fortalecer os métodos de produção da cachaça, a cultura caiçara e a gastronomia. Em 2017, Paraty recebeu da UNESCO o Título Internacional de Cidade Criativa pela Gastronomia.

Uma das mais famosas atrações de Paraty, a Piscina Natural do Cachadaço está entre as prediletas dos turistas que visitam a Vila de Trindade.
As praias de Paraty ficam afastadas da cidade e a melhor maneira de conhecê-las é fazendo um passeio de barco, incluindo as ilhas da região.

Ecoturismo
O município apresenta o cenário ideal para quem procura se aventurar na natureza. Sua localização geográfica possibilita atividades no mar, rios, cachoeiras e trilhas na mata. A estrutura profissional da região oferece as mais diversas programações.

A Baía de Paraty é composta por aproximadamente 65 ilhas. Suas águas límpidas proporcionam um passeio de barco agradável e mergulhos maravilhosos. Várias opções de passeios são oferecidas no porto, podendo o visitante escolher um passeio programado ou personalizar o seu roteiro.

Para quem quiser lavar a alma e recarregar as energias nas belas cachoeiras e poços da região, basta se aventurar nas trilhas. Algumas são de difícil acesso, mas não impossível. Os acidentes de relevos foram generosos em Paraty e ao todo são 12 opções para se banhar: Cachoeira do Tobogã, Poço do Tarzã, Poço do Inglês, Cachoeira da Pedra Branca, Poço da Usina, Poço da Jamaica, Poço da Laje, Poço das Andorinhas, Cachoeira da Graúna, Cachoeira do Iriri, Cachoeira do Taquari e Cachoeira dos Codós (Trindade).

As agências de ecoturismo oferecem diversos passeios que proporcionam um dia de aventura no circuito das cachoeiras, passando pelas principais e mais divertidas atrações.

Outros atrativos especiais são a Casa de Cultura de Paraty, que oferece uma ampla programação com exposições, shows e, incluindo, atividades infantis, e a Paraty Sport Aventura, considerado um dos maiores parques de arvorismo do Brasil, oferecendo 5 percursos de arvorismo e tirolesa, com diferente níveis de dificuldades.

Vila da Trindade
Ela é considerada um dos destinos mais importantes do município de Paraty. As belíssimas praias da região, suas trilhas e cachoeiras encantam os turistas. A Vila de Trindade proporciona uma experiência única de contato com a natureza e oferece bastante opções de hospedagem, camping e gastronomia, com aquele estilo rústico, característica marcante da região.

Trindade está a 30 km do trevo de Paraty e fica dentro da Área de Proteção Ambiental do Cairuçu e do Parque Nacional da Serra da Bocaina. Se você procura aventura, natureza e diversão, este é o destino. Conheça algumas praias da Vila:

Praia do Cepilho – É primeira praia para quem chega a Trindade. Considerada como a preferida dos surfistas, tem uma vista maravilhosa e pequena estrutura para estacionamento e quiosque. Dica: O estacionamento não dá conta em alta temporada.

Praia Brava – Com uma estrutura bem natural, é cercada pela Mata Atlântica, com ondas fortes que cativam surfistas. De natureza quase intocada, a praia tem uma cachoeira na mata e uma bica de água doce, boa para tirar o sal. O acesso é feito por uma trilha íngreme, de média dificuldade, de aproximadamente 30 minutos.

Praia de Fora e do Rancho – Elas ficam logo após a Praia do Cepilho, sendo separadas pela Mata Atlântica. Elas atravessam a Vila de Trindade, sendo mais deserta para o início da Praia de Fora e mais movimentada para a do Rancho, pois algumas pousadas ficam de frente para elas, incluindo quiosques e restaurantes.

Praia do Meio – É perfeita pra as melhores fotos. Entre a Praia do Rancho e da Cachadaço, tem uma combinação rochosa com Mata Atlântica e o desague de um pequeno rio, que infelizmente está sendo poluído por algumas construções. Sem estrutura de quiosques, é comum encontrar ambulantes. Da formação rochosa o visitante consegue imagens tanto da Praia do Meio como da Cachadaço.

Praia do Cachadaço – Está localizada na Área do Parque Nacional da Serra da Bocaina. O seu acesso é por uma trilha íngreme que começa na Praia do Meio. A trilha é maravilhosa pra fazer algumas fotos. Com faixa de areia larga e extensa, a Mata Atlântica também se faz presente. É preciso procurar um lugar seguro para se banhar, pois as ondas são fortes e a correnteza é perigosa.

Piscina Natural do Cachadaço – Localizada ao final da Praia de mesmo nome, ela é perfeita para quem curte fazer aquela flutuação com snorkel e se maravilhar com a vida marinha, nadando entre peixinhos. O acesso pode ser feito por barco taxi (Praia do Meio e dos Ranchos) ou pela trilha no final da praia, que leva um pouco mais de 30 minutos de caminhada. Dica: Se atente a maré para o retorno pela trilha, que começa na beira da praia.

Trilha Cachoeira Pontal – Com diversas cachoeiras em seu percurso como a Pedra que Engole, os Dois Irmãos, o Escorrega e o Poço Fundo, ela compõe o roteiro dos passeios ecológicos oferecidos pelas agências locais. A Pedra que Engole é considerado o principal atrativo da trilha, onde pode-se experimentar a adrenalina de escorregar e ser engolido pela pedra da queda d’água.

Onde ficar
O município é bem preparado para receber os visitantes. É fácil encontrar hotéis, pousadas e campings para todos os gostos e orçamentos. Não se esqueça que, com as Parcerias de Turismo da você consegue preços especiais na Pousada Naus de Paraty, Pouso do Atobá e Villa Harmonia, para curtir as programações culturais do município. Acesse o site da e confira os descontos disponíveis e regulamentos.

Igreja de Santa Rita, considerada o cartão-postal de Paraty, foi construída por escravos libertos em 1722 e possui elementos da arquitetura jesuítica e do barroco nos detalhes internos e externos.
Considerada uma das cachoeiras mais bonitas de Paraty, Pedra Branca é formada por duas quedas que terminam em piscinas naturais rodeadas por pedras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *