Conservatória

Um pacato Distrito que reúne música,
esportes, diversão pra famílias e ainda proporciona uma viagem no tempo.
Por Christine Keller

Qual seu destino no próximo final de semana? Que tal conhecer uma cidade pacata, mas repleta de atrações para todas as idades? Conhecida como a “Terra das Serestas”, Conservatória respira música e romantismo, além de trilhas, esportes radicais e muita cultura como a Locomotiva 206, a antiga Estação Ferroviária, o Túnel do Capoeirão, o Marco do Tempo, o Museu da Seresta, o Museu Vicente Celestino e Gilda Abreu, a Casa de Cultura, a Igreja Matriz de Santo Antônio, o Espaço Sonora, o Cine Centímetro. Além de Igreja Matriz de Santo Antônio e as fazendas do Ciclo do Café. Vale muito conhecer as atrações desse paraíso!

Um pouco de história

Conservatória é um dos municípios que formam o Vale do Café no estado do Rio de Janeiro, que durante o Século XIX, produzia cerca de 75% da bebida no mundo. O produto trouxe riqueza e desenvolvimento para a região, com a construção de estradas, ferrovias, iluminação e as fazendas dos abastados barões do café que possuíam uma estrutura palaciana.
Algumas fazendas conservam a estrutura colonial da época e podem ser visitadas e possuem hospedagem. O Hotel Fazenda Florença é reconhecido como uma boa opção de hospedagem e passeio. Inaugurado como fazenda pela família Teixeira Leite em 1852 e com influências do estilo neoclássico francês na arquitetura, já teve o Imperador D. Pedro II e sua esposa, a Imperatriz D. Teresa Cristina como hóspedes.

A música dá o tom

Um município bucólico e pacato, Conservatória é um dos distritos de Valença, no estado do Rio de Janeiro. Conhecida como “A Cidade das Serestas”, ela tem um clima agradável e oferece muitas atrações para todas as idades. É o refúgio perfeito em qualquer época do ano! O ideal é visitar num final de semana, pois a programação cultural começa na sexta á noite e parte do comércio fecha entre segunda e quinta.
O título de “Cidade da Seresta” surgiu a partir de uma tradição que remonta a 1938. Naquela época, seresteiros apaixonados se reuniam com suas violas e iam de janela em janela nas casas de suas musas inspiradoras entoar suas cantigas. O costume ganhou o coração não apenas das namoradas, mas de todo o vilarejo e até hoje é possível acompanhar essas serenatas e recitais de poemas nas noites de sexta e sábado.

A história das Serestas

A Associação Casa de Cultura de Conservatória surgiu para que a cultura da cidade não se perca no tempo. No casarão, que já pertenceu às famílias do barão do café Francisco Leite Ribeiro, acontecem eventos de choro, encontros de poesias, festivais de serestas e de corais, comemorações de datas locais, reuniões de motociclistas e até festivais de cervejas artesanais. No Instagram\@casadaculturaconservatoria você encontra a programação dos eventos atualizada.
O Museu da Seresta, um dos espaços da Casa de Cultura, abriga um arquivo de fotos, músicas e notícias, além da mostra permanente de uma raríssima coleção de aparelhos de rádio e toca-discos, das décadas de 20 e 80. As pérolas da exposição é um gramofone de 1910 e uma rádio-vitrola da década de 40.
Outro lugar que você não pode deixar de conhecer é o Museu Vicente Celestino e Gilda de Abreu. Eles são dois ícones da música popular e do cinema nacional da primeira metade do século XX. Fundado com objetos doados por familiares, o museu também possui biblioteca e itens de outros artistas da época, incluindo filmes. Funciona de sexta a domingo, das 8h às 20h. WZP: (24) 99216.3380. Instagram\@museuvicentecelestino.

Música e Cinema

E a Música em Conservatória perpassa todos os cantinhos do município. O Espaço Sonora, também conhecido como Teatro Sonora, criado e administrado pela cantora Juliana Maia, apresenta excelentes shows e uma programação diversificada, que inclui atrações para crianças e adultos. Na entrada, um letreiro vintage dá o tom e cria uma atmosfera que se completa com as cadeiras de cinema.
No local, o projeto “Harmônicos de Conservatória” oferece ensino gratuito de Canto Coral e História da Música para mais de 60 jovens da cidade. No Espaço Sonora você encontra um Café, com o melhor da bebida, drinks e aperitivos fantásticos. Confira a programação no Instagram\@espacosonora.
Outra atração imperdível é o Cine Centímetro. Construído em 2005, no formato de um palácio Art Déco pelo cinéfilo Ivo Raposo Junior, é uma réplica do Cine Metro Tijuca (demolido em 1977), com todo o seu glamour e peças da época. Para visitar é necessário pré-agendar, pois não há horário fixo de funcionamento. Ligue para (24) 2438-1815 ou envie um e-mail: ivorapososter@gmail.com.

Relíquias e delícias

Um dos lugares mais procurados é o prédio da Estação Rodoviária, construída pela Estrada de Ferro Santa Isabel do Rio Preto e inaugurada por Dom Pedro II em 1883. Que, hoje o prédio da Estação abriga a Rodoviária Dr. Jair Nóbrega. Outra atração é a Locomotiva 206, reformada em 2014 é cartão postal de Conservatória. Ela transportava café e pessoas entre os anos de 1912 e 1926.
Bem próximo a Locomotiva está o Marco Zero, um estúdio todo caracterizado onde se pode alugar roupas de época e tirar uma foto que será impressa em sépia. Vale muito a viagem no tempo para guardar de recordação!
No centro da cidade você tem mais duas atrações imperdíveis: a Igreja Matriz de Santo Antônio, que foi inaugurada em 1868, no lugar onde havia uma antiga capelinha construída em pau a pique e a estátua José Borges Freitas, que foi um dos músicos responsáveis pela tradição das serestas na cidade. Ah, sábado é dia de roda de chorinho na Praça!
Vale visitar a Cachaçaria Vilarejo e conhecer o processo de fabricação da bebida. Lá, você pode apreciar também outros produtos da roça, como café, queijo e linguiça artesanal. A visita pode ser agendada pelo telefone: (24) 2438-1248.

Natureza e outros atrativos

Para quem ama passeios ao ar livre, Conservatória também traz muitas opções. A Ponte dos Arcos foi construída por escravos toda em pedra, cal e óleo de baleia. Inaugurada em 1884, com a presença de Dom Pedro II, ela tem 100 m de extensão e 12 m de altura. É um dos pontos mais visitados e não pode deixar de andar a cavalo ou passear de charrete.
O Túnel Maria Nassar, conhecido como o “Túnel que Chora”, teve sua inauguração em 1883 para ligar a Linha Férrea de Conservatória ao Rio e a Minas Gerais. Tem 100 m de comprimento e 5 m de altura. A lenda diz que as lágrimas são provenientes das almas dos escravos que o construíram, mas se originam em uma nascente próxima e podem ser observadas em apenas alguns meses do ano.
Outro Túnel importante da fase do Ciclo do Café é o Capoeirão, edificado pela Companhia Estrada de Ferro Santa Isabel entre os anos de 1877 e 1886. Com 400 m tinha a missão de escoar via trens a produção de café da região para Barra do Piraí.
Um dos pontos mais bonitos de Conservatória é a Serra da Beleza, que tem nome oficial de Serra da Taquara e fica na Estrada Valença-Santa Isabel do Rio Preto. Do seu mirante é possível se vislumbrar com o pôr do sol sobre um mar de montanhas. Não existe comprovação, mas muitos moradores garantem que é possível ver OVNIs.

Adrenalina!

Se você está em busca de adrenalina, saiba que a Ponte dos Arcos é o point preferido na cidade para a prática do rapel. Além das trilhas, Conservatória ainda é palco de provas de ciclismo amador e off-road. Também é possível praticar trekking, Moto Trail e Corridas de Montanhas, separamos um site com dicas de diversos esportes de aventura divididos por modalidade e por dificuldade, para todos os tipos de atletas. Confira em:
https://pt.wikiloc.com/trilhas/mountain-bike/brasil/rio-de-janeiro/conservatoria

Como chegar

Conservatória fica a 143 km do Rio de Janeiro. Você pode ir de carro, recomendado pela maioria das pessoas com quem conversamos, pegando a Via Dutra. Entre em Piraí e siga até Barra do Piraí e depois a BR-393. Caso opte pelo ônibus, entre em contato com a Viação Útil: https://www.util.com.br/.

Quem conhece Conservatória, sempre volta.
“Fui com meu marido recentemente e amei a cidade! Foi um dos melhores finais de semana dos últimos tempos. Ao mesmo tempo que descansamos, mergulhamos na história de Conservatória, curtimos os passeios, atrações, comemos muito bem e desfrutamos de bons momentos em cada lugar. Voltaremos em breve!”
declara a terapeuta Simone Martins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *