Consumo Local

Por Christine Keller

Reconhecer os serviços e produtos orgânicos da sua região pode contribuir e muito para a sua saúde e aquecimento da economia local.

A pandemia tem mudado nossa vida sob diversos aspectos. A necessidade do isolamento social nos trouxe novos costumes, como, por exemplo, o modo de comprar. A cada dia, o consumo local, também chamado de Locavorismo, vem cativando o público ao redor do mundo e aqui no Brasil por sua praticidade e variedade. É possível adquirir desde os itens das refeições diárias mais saudáveis até produtos e bens duráveis, e, na maioria das vezes, com apenas um clique no seu smartphone ou computador.

Aquecimento

O que parecia um grande problema se mostrou uma das melhores saídas. Não apenas durante a pandemia, especialmente aqui no Rio de Janeiro, este estilo de consumo vem se intensificando em todo o país. Comprar de produtores locais traz muitos benefícios como agilidade, qualidade e segurança, além de contribuirmos para o fortalecimento da economia local.
Além de facilitar a vida de quem consome, a compra no entorno aquece o mercado de cada região da cidade e como um todo, estimulando as atividades de pequenos produtores e microempresas, evitando que estes estabelecimentos menores fechem e, dessa forma, garantam e até gerem mais empregos.

Para o cliente é a certeza de um produto feito com cuidado, onde os empreendedores, embora tenham suas equipes, conseguem acompanhar todas as etapas de produção até a entrega ao consumidor. É possível, inclusive, se houver interesse do comprador, conhecer de perto quem faz, a matéria-prima utilizada, trocar ideias, sugerir ou mesmo criticar e ser ouvido. Produtores locais estão sempre mais abertos a esse feedback com o intuito de melhorar e fidelizar seus clientes.

Mais saudável

Habitualmente, os produtos locais provêm da agricultura familiar que geralmente não utilizam de adubos químicos. Já foi comprovado pela ciência que os adubos e outros componentes não naturais, conhecidos como agrotóxicos, geram muitas enfermidades como câncer, alergias diversas, infertilidade, danos ao fígado, Colite, problemas na tireoide, entre outras. Os agrotóxicos são nocivos e podem poluir o solo e lençóis freáticos e, desta forma, contaminar a água.

Seus produtos são adubados através da compostagem, que é o resultado da reciclagem do lixo biológico, restos de verduras, frutas, cascas diversas, esterco de animais, etc. O cultivo, é feito com sementes tradicionais, ou seja, não modificadas geneticamente em laboratórios, como as transgênicas. Ou mesmo sementes crioulas, que são aquelas desenvolvidas, adaptadas ou produzidas por agricultores familiares.

Ademais, adquirir itens em sua região diminui a necessidade de longas viagens para transportar o alimento. Quanto mais tempo o produto passa na estrada, maior é a perda de nutrientes e menor sua durabilidade. Trajetos de deslocamento extenso ainda têm o inconveniente de gerarem maiores emissões de gases da queima de combustíveis fósseis dos veículos, como o petróleo e o diesel.

No Brasil, o Sistema Orgânico de Produção Agropecuária é regulado pela Lei 10.831/2003 que emprega técnicas específicas para otimizar o uso de recursos naturais e socioeconômicos disponíveis, além de respeitar a integridade cultural das comunidades rurais, gerando sustentabilidade econômica e ecológica. O sistema prevê uso de energia renovável, preservação da biodiversidade e recomposição dos ecossistemas modificados, entre outras práticas.

Saúde, cor e prazer no prato

Precisamos aproveitar os benefícios de viver em um país tropical. É possível colorir o prato com os mais variados tipos de hortaliças, legumes, frutas e outras delícias, que podem ser adquiridas em feiras orgânicas com toda a qualidade.

Algumas delas fazem parte do Circuito Carioca de Feiras Orgânicas, uma idealização da ABIO – Associação de Agricultores Biológicos do Estado do Rio de Janeiro em parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro. Isso garante a procedência dos itens. A ABIO é credenciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para certificar os orgânicos do estado do Rio de Janeiro, com o Selo de Garantia de Orgânicos.

Então, quando quiser produtos orgânicos, verifique se o produto tem o Selo de Garantia de Orgânicos e o Certificado do SPG (Sistema Participativo de Garantia). É importante lembrar de que o selo só vem na etiqueta dos produtos embalados. Os itens vendidos à granel não possuem o selo, mas são avaliados pelo certificado. É um direito do consumidor exigir e ter acesso ao selo.

“A ABIO tem um compromisso com os consumidores: garantir a qualidade orgânica dos alimentos comercializados nas feiras que coordena. Esse compromisso se dá, primeiro, pela principal característica das nossas feiras, que é a venda direta. Todos os outros cuidados são decorrentes dessa característica. Além da necessidade de certificação, todos os feirantes são associados à ABIO, o que reforça os laços de confiança. E, a cada dia de feira, os feirantes declaram a origem dos produtos, que pode, eventualmente, ser conferida tanto pela ABIO quanto pelos consumidores”.

Onde encontrar

Selecionamos alguns sites e aplicativos que vendem orgânicos no Rio de Janeiro e levam até a sua casa. A maioria oferece cestas de legumes, verduras, frutas e outros itens. Algumas cestas já são montadas pelas lojas, em diversos tamanhos. Mas, também existe a possibilidade de você escolher quais produtos irão compor sua entrega.
Em geral, é necessário pedir com antecedência. Também é possível fazer assinatura. Em outras, você escolhe e pode receber no mesmo dia ou no dia seguinte. A maioria trabalha com cartões de crédito, débito, Pix e algumas aceitam boleto ou pagamento com aplicativos. Quase todas tiram dúvidas pelo whatsapp e possuem aplicativos próprios.

Sites que vendem orgânicos no Rio e região
(confira sempre pelo seu CEP):

  • Clube Orgânico: www.clubeorganico.com
  • Orgânicos in Box: www.organicosinbox.com.br
  • Marchezinho: www.marchezinho.com
  • Sítio do Moinho: www.sitiodomoinho.com.br
  • Broto-Produtor Rural: www. primeiropedido.brotorural.com.br
  • Organices: www.organices.com.br
  • *ABIO: www. abiorj.org/agenda-feiras-organicas-abio/

Vendas on-line

Embora os orgânicos signifiquem saúde para o corpo e meio ambiente, existem pessoas que preferem consumir outros tipos de iguarias ou mesmo comprar comida pronta. Aplicativos como iFood, Uber Eats e Rappi vendem estes produtos e podemos encontrar alguns produtores orgânicos. Estes aplicativos já identificam o endereço do consumidor por conta da entrega. Para baixar os Apps é só ir no Google Play para Android ou na APP Store do Iphone. Procure fortalecer os pequenos empreendedores!

Além da alimentação

Comprar on-line é uma prática que veio para ficar. Nos aplicativos de entrega, cada vez mais disseminados, é possível adquirir, além de comida, itens de vestuário, higiene, para a casa, carro, eletrônicos, artesanato, cursos, lazer e até alguns serviços. Sites de busca como o Google e o Foursquare ajudam, através da localização do cliente, a encontrar exatamente o que procura, num raio de distância pequeno, com facilidades na entrega e nas formas de pagamento.
Outra pedida é buscar pelas páginas do Facebook e do Instagram. No Face, além das fanpages dos produtos, existe o Market Place e grupos por bairros ou regiões que oferecem de tudo. No Instagram os empreendedores locais usam a Hashtag #consumolocal. O problema é que eles não estão necessariamente próximos a você. Pessoas de todo o país têm usado essa Hashtag!
O ideal é ir na busca do Insta, escrever seu bairro e o que procura. Ex: Centro do Rio de Janeiro, loja de roupas. Vão aparecer todos os locais ao entorno. Essa mesma forma de localizar vale para o Facebook. Mas lembre-se, ao comprar pela internet, tenha cuidado de se certificar da qualidade e estado do produto, da entrega e se o vendedor é idôneo.
Cada vez mais, tanto grandes quanto pequenos empresários estão com seus negócios nas redes sociais e a maioria começa a atender e entregar via aplicativos. Isso possibilita uma compra facilitada, com diversas formas de pagamento, pouco contato com quem vende e a comodidade de receber em casa. Muitos aplicativos ainda oferecem descontos, isenção de frete (consulte condições), prêmios, descontos e o famoso “Cash Back”, que é o retorno de parte do dinheiro investido na compra.
Mas, se você em algum momento se sentir lesado, procure no próprio aplicativo como reclamar. A maioria tem uma ouvidoria ou equipe para cuidar disso. Deixamos também aqui alguns sites que podem ajudar. E sempre que puder, apoie o consumo local do pequeno empreendedor. Todo mundo vai ganhar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.