Lençóis Maranhenses

Descubra roteiros incríveis deste lugar fantástico, que fica aqui ao lado.

Por Christine Keller

Na época certa

A primeira imagem que se vê ao chegar aos Lençóis Maranhenses é deslumbrante: um oásis de restinga, mangue, rios e lagoas de água doce de tons verdes e azulados, alimentadas pelas chuvas, e cercadas por grandes dunas de areia branquinha. O parque possui 155 mil hectares distribuídos entre os municípios de Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz. Localizado entre 240 e 260 Km da capital do Maranhão, São Luís, dependendo de qual múnicipio você escolha para chegar.
A melhor época é após a temporada de chuvas, entre maio e setembro. Em maio o tempo ainda está um pouco instável, mas de junho a outubro, o sol brilha e é um espetáculo magnífico. Isso porque de junho a janeiro, conforme a seca avança, quase todas as lagoas desaparecem dando lugar a um deserto. A estação chuvosa acontece entre fevereiro e maio.

O Parque

O Parque dos Lençóis Maranhenses é uma reserva ambiental e pode ser visitado todos os dias, entre 8h e 18h. Mas, existem algumas restrições e cuidados para que o turista possa estar no local, como: Somente entram veículos e condutores credenciados. Não é permitido animais domésticos e também a venda, porte ou consumo de bebidas alcoólicas ou drogas ilícitas.
Fogueiras, churrasqueiras ou fogareiros também não são permitidos. Bronzeadores, clareadores de pelo, óleos corporais e outros produtos de higiene não podem ser utilizados nas lagoas para mantê-las com as águas limpas. Também é necessário cuidar e respeitar a flora e fauna do local e recolher todo o lixo produzido.
O Parque atualmente não cobra ingresso, mas é bom verificar junto às operadoras o valor dos serviços como atrações, transportes e translados, hospedagem e alimentação, opções do que é fornecido em cada lugar e valores. As parcerias da ASSIST disponibilizam agências de viagens que podem ter pacotes especiais para os Associados.

Cada lugar uma aventura

Por Barreirinhas, os atrativos desse roteiro são o passeio de lancha para a foz do Rio Preguiças e o boia-cross no rio Formiga, além do sobrevôo do Parque Nacional e do Circuito de Quadriciclo aos Pequenos Lençóis.
Você é chegado à aventura? Opte por ir pela via Paulino Neves/MA e atravessar três estados: Ceará, Piauí e Maranhão. Conhecida como “Rota das Emoções” , você também poderá apreciar o Parque Nacional de Jericoacora (Ceará) e a Área de Proteção Ambiental do Delta do Parnaíba (Piauí).
Por Santo Amaro, considerado o “filé” dos Lençóis, é o percurso que leva ao maior número de lagoas e que são as que duram mais tempo cheias. Há também a vantagem dos carros poderem estacionar mais perto, já que no Parque existem áreas em que estes não são permitidos. Somente os autorizados.
Por Atins, um vilarejo rústico, com ruas de areia, além das lagoas, outro atrativo é o Kitesurf (de agosto a janeiro), as longas caminhadas com destino à Santo Amaro e as Voadeiras, que são passeios de barco pelo Rio Preguiças.

Como chegar

Quando planejar ir aos Lençóis, pense em no mínimo uns cinco dias para poder aproveitar tudo o que eles têm de melhor. Se puder ficar 10 é o ideal. Para chegar em São Luís, a melhor opção é o aeroporto com voos diretos das cidades de Rio de Janeiro, São Paulo e outros estados. Do aeroporto de São Luís você tem diversas possibilidades de trajeto: Barreirinhas, Santo Amaro e Atins.

Onde se hospedar e
cuidados ao viajar

Tanto Barreirinhas quanto Santo Amaro e Atins oferecem a opção de pousadas. A melhor estrutura é da cidade de Barreirinhas, que possui uma quantidade maior delas. Santo Amaro tem menos unidades, mas também é possível se hospedar na cidade. Já Atins, embora tenha algumas, tudo é mais rústico e às vezes acontece de uma ou outra não possuirem ar condicionado, por exemplo. Se você procura mais conforto, o ideal é se instalar em Barreirinhas mesmo

Ah, as Lagoas…

Sem dúvida, quando se pensa em Lençóis Maranhenses, a primeira imagem que vem à mente é de suas Lagoas rodeadas de dunas de areia alva e fininha. E elas são mesmo fantásticas! As cores variam e além do azul e do verde, algumas são multicoloridas! A profundidade também muda, desde as mais rasinhas até as de 5 m. O ideal é ir com um guia local para não se arriscar nas mais fundas.
Intercale as caminhadas nas dunas e os banhos nas Lagoas. É mágico e revigorante! Para quem viaja com tempo e disposição de andar, recomendamos atravessar o Parque a pé. O trajeto é feito entre três e cinco dias, conhecendo povoados e cada cantinho desse paraíso. Mas, voltando às Lagoas, em Barreirinhas temos o Circuito Lagoa Bonita e o Circuito Lagoa Azul.
Outra opção mais curta é o Circuito Lagoa Bonita, um dos roteiros mais populares e belos. O passeio inicia com um carro 4×4, travessia de balsa pelo Rio Preguiças e subida da duna de 30 metros com um dos visuais mais lindos do Parque. Vale o esforço! Incluindo mais duas lagoas: Maçarico e Clone. Dura cinco horas e o ideal é ir para ver o nascer ou o por do sol. No local há quiosques de comida e bebida.
O Circuito da Lagoa Azul também sai de Barreirinhas e tem 12km de extensão. Depois os turistas seguem a pé para as lagoas por 2 Km. Com meio dia de duração, ele inclui as seguintes lagoas: Da Preguiça, da Esmeralda, da Paz e do Peixe, além, é claro, da Lagoa Azul. Por conta das alteração no nível de água, os guias podem mudar o roteiro. É bom levar comida e bebida pois não há locais para comprar.
Outro passeio que não pode faltar é Atins, um vilarejo de pescadores, que lembra muito Jericoacoara (Ceará) e tem lojinhas de artesanato bem bacanas. Visite a Lagoa do Bode, de águas cristalinas. Para almoço, sugerimos o peixe ao molho de côco, acompanhado de arroz, pirão e farofa. Experimente a cerveja de mandioca, produzida no Maranhão.
Quer uma lagoa tranquila, sem muita gente? Visite a Lagoa das Sete Mulheres. É pouco procurada devido a uma hora de caminhada para chegar, mas é belíssima. Outra, um pouco mais distante de Atins, é a Tropical, de águas muito cristalinas vale o passeio, embora dependa de carro para chegar. Se puder, alugue um veículo local e faça todos esses passeios.Você não vai se arrepender!

O que não pode faltar na sua mochila:

  • Protetor Solar
  • Protetor Labial
  • Garrafas de água
  • Lanche
  • Chapéu ou boné
  • Bolsa para recolher seu lixo
  • Tênis confortável para subir e descer as dunas, pois a areia é muito quente
  • Roupas confortáveis, roupa de banho por baixo e muda de roupa para quando molhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.