Oleaginosas – As sementes do bem

Por Reinaldo Silva

Descubra uma família de alimentos riquíssima em vitaminas, minerais e óleos, que podem fazer toda a diferença na sua alimentação.

Ricas em óleos, as oleaginosas são fontes de minerais que podem prevenir doenças, ajudar no combate a pressão alta, diabetes e ainda na perda de peso e envelhecimento precoce. Este grupo alimentício é composto por frutos e sementes como amendoim, noz, castanha do Pará, pistache, avelã, pinhão e amêndoas. Geralmente são consumidas in natura, contribuindo para o bom funcionamento do organismo.

Presentes em nossa culinária, elas podem complementar pratos como carnes e saladas, e ainda servir como base de doces e sobremesas. Quem não gosta de um bolo de nozes ou amendoim. Mas, é preciso ter cuidados com o excesso. Inserindo hábitos saudáveis em nossa alimentação, aumenta os cuidados do músculo mais importante do nosso corpo, o coração.

Bom pro coração
As nozes foram apresentadas como as mais indicadas para uma dieta saudável, dentre as oleaginosas. Esta constatação foi apresentada nos Estados Unidos, em uma pesquisa feita na Pennsylvania State University. Nozes contem nível elevado de antioxidantes de qualidade. Essas substâncias estimulam a dilatação dos vasos sanguíneos, minimizando o risco de entupimento das artérias.

Ainda de acordo com a pesquisa, é possível encontrar o dobro de antioxidantes existente em um punhado de nozes em comparação as demais oleaginosas. Podem chegar a ser entre duas e 15 vezes mais potentes do que o efeito da vitamina E, conclui a pesquisa.

Típica da floresta amazônica, a castanha do Pará é uma fonte de minerais (fósforo e potássio) considerados como essenciais para equilibrar o ritmo cardíaco, evitando arritmias. Alguns nutricionistas afirmam que elas ainda contêm uma grande quantidade de Selênio, diminuindo a viscosidade do sangue, melhorando a circulação, o transporte de nutrientes e combate radicais livres, diminuindo os efeitos do envelhecimento.

Para reduzir o colesterol ruim (LDL) o pistache pode ajudar e muito. Ajudando a proteger o organismo contra radicais livres, o que fortalece ainda mais a saúde do coração.

A castanha de caju é uma maravilhosa fonte de minerais como o ferro, cálcio, fósforo e sódio, além das gorduras insaturadas onde contém um aminoácido chamado arginina. Ele dilata as artérias, o que pode diminuir a pressão sanguínea, além de ser considerada um antidepressivo natural.

O nutricionista do Programa Vida Saudável, André Monteiro, explica que “por se tratar de alimentos ricos em gorduras, mesmo sendo as chamadas “gorduras boas” o consumo em excesso pode ocasionar quadros de dislipidemias – alterações nos níveis de gorduras no sangue.”

Excesso, faz mal
“Quando falamos em consumos de oleaginosas em geral, é comum as pessoas acharem que elas apenas trazem benefícios à saúde e então realizam o consumo demasiadamente, o que é errado”, explica André Monteiro.

Já sabemos que as oleaginosas são fontes riquíssimas de minerais e gorduras saudáveis que fazem muito bem ao nosso organismo, mas é preciso ter um limite no consumo. A ingestão de algumas substâncias em excesso, como o selênio, pode causar toxidade ao corpo. O alto consumo pode causar ainda queda de cabelo e manchas na pele.

“Outro ponto a se observar é a importância do não consumo das oleaginosas em conjunto com demais ingredientes, como sal, chocolates e massas. é comum encontrar barras de chocolates com castanhas, sal adicionado em algumas oleaginosas e até mesmo pães e bolos com estes tipos de alimentos. O consumo nestas apresentações pode gerar riscos à saúde”, alerta o nutricionista.

O ideal para o consumo são 10 unidades por dia, distribuídas dentre os tipos de oleaginosas. Faça um mix de nuts e distribua o consumo diário entre avelã, castanha do pará, nozes, macadâmia e amêndoa, por exemplo. Mas, é preciso respeitar o consumo diário de cada uma.

E pro sangue?
Apesar de corresponder de 7% a 8% do peso corporal de uma pessoa, é indiscutível a sua importância e presença no organismo. Responsável por carregar oxigênio e nutrientes para todos os órgãos, o Dr. Peter D’Adamo, conceituado médico naturopata, lembra em suas publicações que diferentes tipos sanguíneos são sinônimos de diversas químicas corporais. Tendo cada tipo de sangue a sua dieta específica, será que existem algumas restrições referentes às oleaginosas?

Tipo sanguíneo A:
São pessoas que precisam de pouca gordura e devem optar por uma alimentação rica em vegetais. O amendoim e a noz preta são considerados benéficos. Amêndoa, avelã e castanha são neutras, mas castanha de caju, castanha do Pará e pistache precisam ser evitados.

Tipo sanguíneo B:
Nenhuma foi classificada como benéfica, porém, amêndoas, castanhas e nozes são neutras ao organismo. O amendoim, avelã e a castanha de caju é preciso evitar.

Tipo sanguíneo O:
Nozes e sementes de abóbora são benéficas para o organismo. Amêndoas, avelãs, castanhas e macadâmia são alimentos neutros.

Tipo sanguíneo AB:
Pessoas que possuem as características do tipo A e do B. Amendoim, castanha da índia e nozes são consideradas benéficas. Amêndoas, castanha de caju, castanha do Pará, macadâmia e pistache são alimentos neutros. Avelã e semente de abóbora é preciso evitar.

Ficou com alguma dúvida ou quer melhor orientação sobre como implementar este grupo alimentar na sua dieta? A Assist disponibiliza o Programa Vida Saudável para ajudar você nestas questões. Agende sua orientação pelo App Assist, comparecendo no Atendimento Pessoal em nossa sede, de segunda a sexta das 8h às 18h ou pelo Atendimento Telefônico (21) 2142-5100 e 2217-3800, todos os dias de 8h às 20h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.