Café

Por Leonardo Costa

Do grão à xícara, o caminho é grande e as possibilidades são maravilhosas. Descubra qual o seu café.

Pra você, é verdade que o dia só começa depois de uma boa xícara ou caneca de café? Das plantações até a nossa mesa, o café traz muita história, cultura e tradição. Tradicionalmente conhecido como uma bebida quente, suas variações são esplêndidas e ampliam as possibilidades de sabor, seja gelado, com álcool ou especiarias.

Grãos mais comuns

Arábica: Mais aromático, de sabor mais doce e suave, com menos cafeína.
Robusta: Menos aromático, de sabor mais forte e áspero, com mais cafeína.

Quanto por dia?

Para os assíduos do famoso cafezinho, atenção. Pois, quanto mais café, menos benefícios. O consumo moderado garante todos os benefícios da bebida. Estudos indicam a ingestão de 3 a 4 doses por dia.

Cafeína

Ela é muito encontrada em bebidas como café, chás e refrigerantes. O seu consumo em grandes quantidades pode provocar dores de cabeça, insônia e até cansaço.

Descafeinado

Tão saboroso quanto o tradicional, o descafeinado é uma opção para quem gosta de café, mas não quer ter os efeitos da cafeína. A tecnologia tem ajudado muito a manter a precisão do processo de descafeinação. Ele é primordial para manter as características do grão, sem alterar as notas de sabor, aroma e coloração.

Solúvel

Quem gosta de praticidade e rapidez na hora do café, os solúveis são a escolha perfeita. Completamente diferente do café torrado e moído, o sabor e características são bem específicas.

Spray dried: Café solúvel em pó. Basicamente, é o extrato de café tratado em altas temperaturas, pressão e pulverização.

Aglomerado: Resultado do processo que junta o spray dried ao vapor, com pressão para alcançar a granulação.

Freeze dried/Liofilizado: Sua qualidade é superior. Bem mais flocado, o extrato é congelado a -40°C, moído e seco à vácuo, para preservar as qualidades aromáticas.

Qual o seu estilo?

  • Expresso: só café preto
  • Americano: café + água quente
  • Árabe: Café + especiarias
  • Macchiatto: Café + chantilly
  • Expresso Panna: Café + creme batido
  • Hawaiano: Café + leite de coco
  • Irlandês: Café com whisky e creme batido
  • Breve: Expresso + leite + leite vaporizado
  • Latte: Expresso + leite
  • Mocha: Expresso + leite + chocolate
  • Cappuccino: Expresso + leite + espuma de leite

10 Benefícios

  1. Estimulante
  2. Protege as artérias
  3. Ajuda no emagrecimento
  4. Melhora inflamações
  5. Reduz chance de problemas respiratórios
  6. Alivia dor de cabeça
  7. Previne câncer
  8. Combate depressão
  9. Aumenta memória
  10. Reduz chance de Alzheimer

Mais concentração

Uma xícara de café aumenta a concentração e ajuda na execução de tarefas. Isto acontece devido a presença de substâncias que bloqueiam os receptores de adenosina, responsáveis pela sonolência.

Aromatizado

A tecnologia sendo aplicada a favor do bem-estar. A aromatização do café surge como uma estratégia mercadológica de trazer mais sabor à bebida. Com diferentes sensações, esta nova alternativa pode ser feita em casa ou adquirida no mercado com aromas de avelã, baunilha, caramelo, chocolate e nozes.

Exótico e Brasileiro

Você sabia que o café brasileiro mais caro conta com a participação de um pássaro? Cultivado com a autorização do IBAMA, ele é originário do interior do Espírito Santo. O pássaro Jacu engole o grão inteiro sem mastiga-lo. O café absorve os ácidos e enzimas durante o processo digestivo, ganhando baixa acidez, amargor e doçura média, podendo ganhar notas de jasmim. Suas características são únicas e totalmente Brasileiras.

Drinks gelados

Há quem goste do café gelado ou iced coffe. Mas, não é simplesmente esperar esfriar e beber. O contexto praticamente o transforma em um drink com muito estilo e sabor. Podemos acrescentar sorvete, creme de avelã, chocolate, chantilly, leite condensado, extratos como de amêndoas e frutas vermelhas e até bebidas alcoólicas ou água gaseificada. O mais famoso no verão é o frappuccino com chocolate, leite e bastante chantilly.

Como fazer o café com as diversas formas de filtragem

As máquinas de café expresso não ficam apenas nas cafeterias e lanchonetes, muitos modelos estão disponíveis para o consumo doméstico. Hoje, para tomar um mocha, cappuccino ou latte, não precisa sair de casa, basta ter uma delas em casa e apertar um botão. Mas, a forma tradicional ainda não morreu. Como você faz o seu?

Filtro de papel:
Surgiu em 1908, na Alemanha. Você prepara o café colocando o pó dentro do filtro de papel e joga a água quente. Este método deixa o café mais suave, menos amargo e mais translúcido.

Coador de pano:
Muito tradicional. Sem deixar a água ferver,
despeje-a no filtro com o pó em toda a lateral do coador, fazendo movimentos circulares até o centro.

Prensa Francesa:
Para quem gosta de café encorpado e com leve acidez cítrica. Basicamente, é uma jarrinha onde o pó é colocado no fundo e colocamos a água quente, esperando alguns minutos para a mistura descansar. Basta empurrar o êmbolo para baixo e o café é filtrado pela trama metálica. Dica: use café de moagem grossa.

Cafeteira italiana:
Muito prática. Coloca-se a água na parte de baixo e o pó na parte do meio, antes do filtro. Quando a água ferver, ela passa pelo pó e o café está filtrado e pronto na parte superior.

Aeropress:
Muito parecida com a Prensa Francesa. Basicamente, a água e o pó são filtrados por um disco de papel, ao ser pressionada para baixo. A pressão na filtragem resulta em um café forte, menos amargo e ácido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.