Horta Orgânica Comunitária

Por Christine Keller

A revolução fundamental para uma produção mais saudável de alimentos e com menos impacto ambiental.

É fato que uma nutrição rica, variada e livre de agrotóxicos fortalece a imunidade e previne (às vezes até cura) uma série de doenças. Além disso, a forma como o alimento é elaborado, desde a semente, passando por todas as etapas, até chegar ao consumidor final, afeta diretamente o meio ambiente. Produção em massa de insumos alimentícios com baixo impacto para a saúde do planeta, mitigação da fome e desnutrição, produtividade, empregabilidade, geração de lucro e terapia são alguns dos muitos benefícios de uma Horta Orgânica ou Horta em pequenos espaços.

Vantagens: Reciclar, criar, comer, economizar e cuidar

Já imaginou retirar aquela verdura, legume fresquinho ou temperinho de sua horta para uma refeição colorida, agradável e saudável? Se você acha que a falta de espaço é um problema nas grandes cidades como o Rio de Janeiro, nós vamos ajuda-lo a mudar seu conceito. Seja num quintal de apenas um metro quadrado, varanda reduzida ou uma parede, é possível iniciar seu projeto. Ambientes pequenos pedem mudas ou sementes cultivadas em vasos e exigem poucos cuidados. Quantidade da luz do sol, da rega e poda são alguns dos detalhes que variam de espécie.

Algumas hortaliças e legumes podem ser plantados em vasos. Você pode comprar vasos, sementes e a terra em grandes supermercados ou casas de jardinagem, ou até reciclar latas, potes e outros utensílios que já não usa e contribuir ainda mais com o meio ambiente. Do lado de fora destes, pinte, forre com tecido ou corda sisal. Não se esqueça de furar embaixo para que a água escoe. Use a criatividade e imprima sua personalidade para produzir uma horta do seu jeito!

Água e sol são imprescindíveis para o crescimento de suas plantações. Mas é necessário procurar saber quais precisam de muito sol, pouco, ou mesmo de sombra. E assim escolher o melhor local. O mesmo acontece com a água. Existem plantas que gostam de mais umidade e aquelas como as suculentas, entre outras, menos. Verão pede duas regas por dia, variando de espécie. As outras estações, menos. Lembre-se de que cada caso é diferente. Nunca regue com o sol em cima, para as folhas não murcharem e a raiz não cozinhar. Melhor horário de rega: bem cedinho ou ao cair da tarde.

A Horta Orgânica em casa é a certeza do consumo de um alimento livre de agrotóxicos, natural, e sem muitos gastos, já que você pode reaproveitar espaço, materiais e comprar apenas poucos itens. É uma forma também de unir a família e conscientizar crianças e jovens sobre a importância de cuidar da natureza. Além disso, mexer com a terra e ver os resultados, é uma terapia maravilhosa para diminuir ansiedade e stress.

Adubo caseiro

A adubação é fundamental pois muitos cultivos sozinhos não conseguem retirar todos os nutrientes necessários do solo. Sabe as cascas de legumes e frutas, talos de hortaliças e folhas murchas, que você joga no lixo e acaba nos aterros sanitários? Isso tudo pode ser reaproveitado. Basta secar ao sol, triturar com pouca água no liquidificador e colocar em cada vaso, em cima da terra (cobertura laminar). Mas evite alimentos prontos ou processados para não atrair moscas nem odores desagradáveis. Conforme for regando, a terra absorverá os nutrientes necessários à sua plantação.

Esse é o adubo mais natural e de menor gasto que você pode usar, cuidando de sua saúde e do meio ambiente. Existem outros tipos de adubos como farinha de cascas de ovos trituradas, borra de pó de café e a própria água de cozimento de legumes desde que não tenha sal nem temperos. Minhocas, esterco de animais, cinzas de madeira e a compostagem, esta para quem possui espaços um pouco maiores, também são outras formas de adubação orgânica de baixo custo e menor impacto à natureza e que apresentam excelentes resultados para hortas caseiras ou criadas em territórios pequenos.

Hortas no entorno: Pensando e criando coletivamente

Ter um cantinho com suas hortaliças em casa é fantástico, sem dúvida. Mas, vamos pensar mais além. Imagina aproveitar um espaço na cidade que seja um terreno vazio, que muitas vezes se torna um lixão, matagal com criadouro de ratos e outros focos de doenças e atrativo para criminosos se esconderem. Esse local pode se tornar uma horta comunitária e gerar alimentos para toda a população adjacente, especialmente os mais vulneráveis, que, por conta da pandemia, perderam seus empregos e encontram dificuldade para sustentar a família.

Para criar sua horta comunitária, além da união dos vizinhos, familiares e amigos, e da associação de moradores, se houver, é necessário que o terreno seja público. Terrenos privados são mais complicados porque, em geral, os proprietários têm o objetivo de venda ou aluguel. Se o terreno for público é mais fácil conseguir a implantação do projeto. Basta entrar em contato com a Prefeitura do Rio de Janeiro através do email: hortas.cariocas@gmail.com endereçado ao Coordenador Geral do Programa Hortas Cariocas, Júlio Cesar Barros, solicitando a visita de um engenheiro agrônomo.

O engenheiro irá até o terreno fazer a vistoria que passará por uma avaliação do programa para saber se é viável a implementação da Horta Orgânica. Caso seja aprovada, a própria Prefeitura irá implantar a iniciativa, que poderá contar com a ajuda da população local e a fiscalização da mesma. O resultado do cultivo é distribuído para moradores do entorno e pessoas que necessitam. A novidade é que agora o Programa Hortas Cariocas também está disponível para regiões da cidade com uma renda maior.

Inicialmente, o Programa Hortas Cariocas priorizava regiões circunvizinhas a comunidades de baixa renda ou escolas municipais. No momento são 48 localidades, 24 em comunidades e 24 em escolas. O objetivo é aproximar a população da agricultura orgânica e urbana, distribuir alimentos para quem necessita e gerar renda para aqueles que administram, já que sempre que é possível, utiliza a mão de obra local, além da conscientização ambiental dos moradores. Hoje, outras áreas podem ser contempladas. Se você conhece algum terreno público que pode ser transformado, entre em contato.

A maior horta comunitária da América Latina, em Manguinhos, zona norte do Rio, criada em 2013, é apoiada pelo programa Hortas Comunitárias e rende duas toneladas de alimento por mês, que é repartido entre moradores, impactando diretamente a vida de 800 famílias e 21 trabalhadores que ganham bolsa-auxílio. O terreno já foi uma “Cracolândia” e hoje tem uma área plantada equivalente a quatro campos de futebol.

Colocando a mão na terra!

Existem iniciativas que foram idealizadas e construídas pela população, sem nenhum apoio inicial de órgãos públicos ou empresas. O Parque Ecológico Sitiê, localizado na Favela do Vidigal, na zona sul do Rio, é um exemplo disso. Em 2003, um grupo de moradores liderados por Mauro Quintanilha e Paulo César Almeida, recuperou uma área que era depósito de lixo informal de 8.500m2 e transformou em Horta Orgânica, distribuindo alimentos para os residentes e usando mão-de-obra da comunidade. A ideia pode e deve ser replicada em outras regiões da cidade, seja em favelas ou no asfalto.

Outro projeto muito bacana no Vidigal é o Instituto Todos na Luta, fundado em 1993 pelo professor de Boxe Ralff Giglio, Ong que oferece esporte e suporte gratuito à crianças e adolescentes da comunidade e adjacências. E a novidade é que, agora o Todos na Luta conta com uma horta comunitária, que foi fixada num espaço antes abandonado, ganhou força com novos cultivos e a ajuda dos alunos. O intuito é, além da composição do lanche da criançada, conscientizar sobre a importância de cuidar da natureza.

O impacto ambiental da produção de alimentos

O estímulo à proliferação de hortas comunitárias não tem apenas como objetivo influir exclusivamente na mesa do consumidor das grandes cidades, mas também desacelerar a produção em larga escala de alimentos em regiões que estão se tornando cada vez mais degradadas por conta do agronegócio. Não apenas a produção agrícola, mas também a criação de gado contribuem muito para o aquecimento global e também a destruição da camada de ozônio na atmosfera.

Outro problema gerado é a alta utilização de água. Dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), indicam que 70% de toda a água consumida no planeta é direcionada para a agricultura e a pecuária. No Brasil, o gasto chega a 72%. Além disso, tanto a agricultura quanto a pecuária têm aumentado a devastação em todos os biomas brasileiros, uns em maior, outros em menor escala: Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga, Pampa e Pantanal.

E, por onde eu começo?

Se você nunca plantou nem uma mudinha, fique tranquilo! Além de lojas especializadas, existem cursos, tutoriais, sites e perfis na internet com informações e dicas preciosas (e de graça!) que ensinam o passo a passo de maneira bem simples. Um curso muito completo, on-line e gratuito é ministrado pelo portal da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), uma empresa pública de pesquisa vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil. Durante um mês você estuda e pode baixar materiais e tabelas de cultivo e cuidados específicos de cada tipo de cultura.

Anote aí nossas dicas:

SNA sociedade nacional agrícola
Parceira ASSIST – Educação
Desconto de 30% no valor dos cursos de extensão
https://www.sna.agr.br/
https://www.sna.agr.br/ewb/curs_ewb-horticultorg1.pdf

Embrapa
Curso: Hortas em pequenos espaços:
https://www.embrapa.br/e-campo/hortas-em-pequenos-espacos

Outros cursos do Embrapa
https://www.embrapa.br/e-campo

Programa Hortas Cariocas:
https://www.instagram.com/hortas.cariocas/

Curso de Horta Caseira
Learn Café (Grátis)
https://www.learncafe.com/cursos/horta-caseira-2

Canal Minhas Plantas
Tutoriais de hortas e outras plantas
https://www.youtube.com/channel/UC-8Uff7i2h5qtIvjXJDJqYA

Ciclo Vivo
Manual para Hortas Verticais:
https://ciclovivo.com.br/mao-na-massa/faca-voce-mesmo/manual-ensina-a-fazer-hortas-verticais-com-sistema-automatico-de-irrigacao/

Agriverdes
A Permacultura na Horta Urbana:
https://www.agriverdes.com.br/biblioteca/wp-content/uploads/2019/06/permacultura-na-horta-urbana.pdf

Santa Bárbara (SP)
Manual de Compostagem em casa
http://www.santabarbara.sp.gov.br/v5/downloads/meio-ambiente/manual-compostagem.pdf

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.