Suplementos Naturais

Conheça os complementos à alimentação que ajudam a melhorar o desempenho do corpo e da mente, além de suprir deficiências e evitar doenças.

Por Leonardo Costa

Quando falamos em suplementos, para algumas pessoas, o primeiro vínculo que vem na memória é com exercícios físicos. Mas, a suplementação serve justamente para complementar a deficiência de vitamina e minerais no organismo. Muito utilizada nos quadros de anemia, ela também pode ser utilizada para melhorar o desenvolvimento em algumas atividades sejam esportivas ou intelectuais.
Para o nutricionista do Programa Vida Saudável, a saúde deve começar por uma boa alimentação. Os alimentos quando ingeridos de forma correta, introduzidos corretamente desde a infancia, são capazes de evitar agravos à saúde no futuro, como desenvolvimento de diabetes, hipertensão, obesidade e outras doenças. A má alimentação está diretamente relacionada com a pré-disposição para alterações funcionais do nosso corpo. Devemos comer mais alimentos naturais em comparação aos produtos processados, e este hábito deve ser iniciado já na infância.

Natural x sintético

Em geral, os suplementos são compostos por vitaminas, fibras, aminoácidos e proteínas que são utilizados para complementar a dieta. Sintéticos ou naturais, a sua utilização é feita para atender a necessidade calórica e nutricional do indivíduo.
Alguns especialistas afirmam que o mercado de suplementos naturais vem crescendo no Brasil. Isto pode estar ligado ao aumento da busca pela qualidade de vida e bem-estar, ou seja, preocupação com a saúde, levando ao consumo consciente e natural.
Os suplementos naturais são diferentes dos sintéticos, pois não recebem adição de conservantes químicos e a sua composição tem maior teor de nutrientes, devido ao seu processo de fabricação

Vitamina B12

A Vitamina B12 é encontrada em alimentos de origem animal. Ela é muito importante para o sistema nervoso, músculos, pele, cabelos e unhas. Além de prevenir doenças neurológicas como Alzheimer e depressão. Pode ser encontrada no salmão, atum, fígado, leites e derivados.
Atenção veganos: A carência desta vitamina pode desenvolver problemas de saúde como anemia perniciosa, fraqueza, problemas de memória e concentração. Caso tenha uma dieta restrita, é aconselhado procurar um nutricionista ou nutrólogo para receber a melhor forma de suplementar a vitamina B12.

Ferro

Esta suplementação é muito comum entre os adultos. Muito utilizada nos quadros de anemia. Pode ser encontrado no coração e fígado bovino, vegetais verde-escuros como brócolis, couve e espinafre, feijão preto e mariscos.

Ácido fólico

Ele mantém a saúde do cérebro, da pele e dos cabelos, previne anemia e alguns tipos de câncer, além de ter uma participação importante na formação do sistema nervoso dos bebês. Também conhecido por vitamina B9 ou folato, ele pode ser encontrado nos vegetais verde (rúcula e espinafre), nas leguminosas (lentilha e feijão fradinho) e gorduras boas (gergelim) e vísceras (fígado de boi e frango).

Melatonina

Conhecida como o hormônio do sono, ela é produzida pelo organismo e liberada no início da noite. No caso de insônia, alguns profissionais indicam a sua suplementação. Pode ser encontrada no leite, aveia, abacaxi, cereja, kiwi e grão-de-bico.

Colágeno

Para fortalecer a pele e o brilho nos cabelos, a suplementação pode ser feita com alimentação, incluindo claras de ovo, folhas verdes e escuras, oleaginosas, quinoa, alho e sementes de linhaça.

Cálcio

Ajuda no fortalecimento do corpo, dentes e osso, e na transmissão de impulsos nervosos. Para melhor absorção procure ingerir ferro e cafeína, além de pegar sol para vitamina D. Pode ser encontrado em leites vegetais, soja, linhaça, grão de bico e derivados do leite animal.

Fígado

Tudo que precisa chegar na corrente sanguínea é metabolizado pelo fígado e excretado pelos rins, ou seja, tudo que ingerimos passa por estes dois órgãos. Quando falamos de suplementação alimentar, é importante lembrar que o excesso de vitaminas e de algumas substâncias pode sobrecarregá-los e intoxicá-los.

Massa muscular

Se o seu objetivo é praticar exercícios e ganhar massa muscular, também é possível encontrar suplementos naturais que sejam ricos em carboidratos, proteínas e gorduras saudáveis. O importante é que sejam liberados gradativamente durante a atividade física. Uma boa pedida é a velha vitamina de banana com aveia, mas incrementada com amendoim. A batata doce, cacau e sementes também são indicados pelos nutricionistas.

Consulta médica

É importante ressaltar que a persistência de qualquer sintoma pode estar relacionada a algum problema de saúde, necessitando de uma avaliação e diagnóstico médico. Como falamos no início desta matéria, a suplementação alimentar pode ser utilizada para complementar dieta, alcançar determinados objetivos estéticos e tratar doenças crônicas. Para suplementação correta procure orientação de profissionais qualificados, como médicos, nutricionistas, fitoterapeutas e outros.. A sua saúde depende das suas escolhas.

Tipos de cansaço

Físico
É preciso ficar atento à dinâmica do nosso dia a dia para poder identificar a origem da falta de energia e cansaço excessivo. Ele pode ser causado por atividades físicas em excesso ou falta de algumas vitaminas, além de estresse, depressão e ansiedade.
Se você identifica o sedentarismo como fonte de cansaço, nada melhor que uma boa atividade física com a alimentação correta para reverter o quadro e melhorar o seu desempenho nas atividades cotidianas.
Especialistas indicam que, o cansaço físico pode ser combatido com alimentos ricos em vitaminas do complexo B, para ter mais energia e magnésio, para facilitar a contração muscular. Carnes, ovos, fígado e levedo de cerveja são fontes das vitaminas do complexo B. Já o magnésio pode ser encontrado nas sementes de abóbora, espinafre, feijão preto, aveia, acelga e tofu.

Mental
O cansaço mental pode ser considerado como o mais comum entre as pessoas em nossa atual sociedade. E, alguns alimentos podem nos ajudar a combatê-lo. Procure incluir na sua dieta alface, canela, mel, amendoim, maracujá, abacate, banana e cereja, com ingestão de 2 a 3 vezes por dia. Não necessariamente o mesmo, podendo variar entre as refeições.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.